segunda-feira, 10 de outubro de 2011





Carrego comigo os cinquenta e quatro dias-mais-bonitos. E eu ainda pude acreditar um dia que jamais presenciaria isso, mas tá dando certo. Tá tudo nos trilhos. To com um sentimento merecido no peito. E o tenho dividido com alguém. Frase de posse: meu alguém.
Quero ser teu remédio, teu sorriso, tua lembrança. Lembrança luminosa. Coisas obscuras não entram mais - quando não são permitidas. Tornei tudo assim, não me abalo mais. Não se abale também, meu alguém.
Quero ser teu remédio pra o que tu quiser que eu seja. Quero ser teu sorriso pras lembranças luminosas que tu escolher que eu faça parte. Quero que tudo ande nos trilhos e que dentro do trem estejamos apenas nós e o condutor, invisível. Dentro do único vagão desse trem; nós. Você, eu.
Cabem dentro de mim infinitos dias-mais-bonitos, e os quero, os desejo, os chamo: venham! Esse trem não precisa de passagem, apenas de continuação. Uma mesa entre nós, apenas isso nos separa. Te pago um suco de abacaxi e te deixo permanecer. Teu cheiro na minha roupa; e no ar. Me enlouquece, e acalma. Te observo. Fala, meu alguém, fala. Diz que curo tuas dores, que causo teus sorrisos, e os ilumino. Ou não diga. Apenas, permaneça. Transformo essa luminosidade em sol. Ele nunca se vai, apenas, passeia. Passeio ao redor de ti. Te observo. Fala, meu alguém, diz.
Pode vir o que vier. Tu é forte e eu também. Junto ao teu segundo copo de suco, vem uma única rosa vermelha. E tu dança comigo, meu alguém? diz que sim, vem. Vem que nesse trem a música fala The room's hush, hush, and now's our moment. Take it in feel it all and hold it. Eyes on you, eyes on me. We're doing this right. Os trilhos nunca terminam. Que nesse trem não tem saída, não se a gente não quiser que tenha. Mesmo eu e você estando no mesmo trem, a saudade vem. Mesmo eu e você estando em sintonia, a saudade nos agonia. A falta vem, a tua falta. A nossa falta. Toma teu suco, cheira tua rosa. Me inclui na tua lembrança luminosa, me enxerga no sol pela janela. 
To te esperando, meu alguém. Vem. Chega de surpresa, me abraça forte, me beija na nuca. Teu cheiro na minha roupa; e no ar. Me enlouquece, e acalma. Nos observo de longe, dentro da mente. O sol brilha lá em cima, consegues ver? E o teu sorriso brilha junto a mim. Minha luminosa lembrança é a tua. Vem, te acolho em mim, ponho na saudade um fim, e então, penso, eu nunca senti nada assim. Vem, minha menina. É tudo sobre nós. 


Eduardda Carvalho

Nenhum comentário: